Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Descortinando o sábado - Radyr Gonçalves


Sábado – o calendário massageia o peitoral do tempo
Cardíaco, afobado, cheio de informações inúteis

A cosmogonia na visão dos papagaios
A política na mão dos lobos
O reteté das ovelhas doentes
Passarinhos descrentes – patos dementes
O mundo gira, gira, gira
E volta para o mesmo lugar

Sábado – a couraça das eras ainda resiste
Fadigada, tecendo descansos à custa das guerras...

Mulheres descosturam o corpo
Moças embaraçam-se entre as teias da nudez

Homens desencurvam roteiros
Inventam destinos
Não encontram o parafuso ideal
A resposta para os dilemas
E choram... Choram igual criança, sem solução
Sentados no chão de uma garagem
Constroem de forma genial um foguete
Mas não sabem consertar a vida, coitados!

 -
Radyr Gonçalves
© 2017
Todos os direitos reservados



Comentários