Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Contramão - Radyr Gonçalves


Eu sigo na contramão – escapando por um triz
Às margens da louca Matrix – vou tocando meu pandeiro

Finjo calma – mas há uma pressão que entesa meus nervos
Há um chicote que lapeia meus lombos enquanto canto

Mas sou consciente do mundo além dos meus olhos
Sei que algum artífice entalha meu futuro no escuro

Sei que sou apenas mais um objeto que escreve, debalde

Enovelo cada uma das minhas descrenças numa prece

Acredito nas bruxas – nos intraterrenos monoicos – no Absoluto
Creio no destoar das profecias – no desencanto dos astros
Na mentira que desentulha a tristeza dos deprimidos
Nos comprimidos que prometem fazer dormir
Na morte que enverniza as eras – que vai limpando da terra
Homem por homem – pequenos e grandes – ricos e pobres
Até mesmo aqueles que historiam o futuro nos nossos ouvidos
Como se fôssemos tolos

(Mas somos tolos!)

Sabemos disso.

-
Radyr Gonçalves
Copyright 2017
Todos os direitos reservados

Comentários