Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Todo poema corta - Radyr Gonçalves


Todo poema é uma lâmina procurando um pulso
Um rock calcificado nas cartilagens das asas de um corvo
Um desencontro de verbos que sangram

Todo poema é um homem olhando para o fundo de um poço
Um jovem homem velho sentando numa pedra suja de lodo
Um desencanto amarronzado – um sapo sem pântano...

Todo poema é um escoar de alma – um limo azedo
Um enredo além/Almodóvar – um gemido de lobo acuado
Um leão solitário no cerne amarelo/pálido de uma savana

Todo poema é um labirinto escorregadio – paredes brancas
Marcas de mãos – passos lentos – olhares de solidão
Todo poema tem que provocar arrepios – frio na barriga

Nó na garganta... Ou é então é um poema inútil. 

-
Radyr Gonçalves
Copyright 2017
Todos os direitos reservados

Comentários