Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O colecionador de mentiras - Radyr Gonçalves


Escondo mentiras talhadas em madeiras de lei nos porões das segundas-feiras...
Farsas do eu
Agulhas envenenadas
Cordas de manejar suicídios
Loucuras criptografadas
Ensaios de partir
Bilhetes de viagens...

Tiro o mofo das nostalgias e tento viver no momento eterno
O presente é um engodo
O passado é um inferno apagado
E o futuro é um beija-flor apressado gritando:
Mataram a primavera! Mataram a primavera!

Dedico meu tempo a estudar minhas unhas
A roer livros – desengasgar versos entalados na garganta
Tento decifrar o dó do meu choro
Que nunca caiu em si...

Escondo sambas em um tamborim mágico de um preto velho

Busco a magia de um sorriso ensolarado
A leveza das coisas sutis
O encanto de uma verdade que me faça encarar a vida
E olhar nos olhos da morte sem medo algum

Mas para isso eu tenho que abrir o velho porão
E incendiar toda essa madeira
Sair do conforto dessa cadeira

E voar...

Que diabos de passarinho sou eu?

-
Radyr Gonçalves
Copyright 2017
Todos os direitos reservados


Comentários

Grande, Radyr. Grande! A sua poesia revela a magia dos grandes sábios das letras. Instiga e renova o prazer dos leitores, além de inspirar a quem escreve. Parabéns!