Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Mentiras, tolices e medos


Aquela força debilmente desfeita
Aquele ponto quebrado da vontade eleita
O leite derramado...

Há um fantasma residindo por entre os caibros
Mudo, vulnerável
Mas que teme em querer assombrar os moradores desse lugar

Permaneço lúcido
Mas essas teias de loucura me perseguem

Há um desespero nos meus olhos
Não me faltam verbos
Folhas, sementes, frutos

Tento fugir, mas luto
Quebrando as taças da bipolaridade astuta

Há um remendo de novela em páginas velhas
Enredos secos, tolas falas

Permaneço escrevendo
Mas nada em mim tem lógica
Minha poesia não é trágica
Meu poema não é bélico

Tento engavetar esses desabafos
Mas as gavetas vomitam esses traços

E eu sou obrigado a contar verdades
Disfarçadas de mentiras

Tolices e medos...
-
Radyr Gonçalves