Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Girassóis Albinos

               

Tinha uma plantação de girassóis albinos no meu quintal
Morreram ao saberem que vou morrer
Sobraram os galhos secos, o corvo empalhado no alto do lírio
Minhas últimas pisadas frias – tão suaves, quase invisíveis...

Deixei escrito poemas deformados
Críticas, jornais vencidos e um pouco de mel
Eu sempre fui doce
Embora não dance
Eu sempre fui leve com os pés e com as mãos

Surrupiei do céu meu último pôr do Sol
Juntei o esqueleto do dia
E parti carregado
Como quem carrega o mundo nos costas

O mundo pesa demais, rapaz!
São fardos de dias
Fardos das noites
Fardos que vão deformando a coluna...

Deixei escrito uma receita de café especial
Um pequeno tratado das minhas descrenças
Apontamentos, rascunhos desconexos
Um livrinho escrito sobre a coragem de prosseguir
E algumas sementes de girassóis albinos
Que um menino desconhecido passou por aqui e deixou...

-
Radyr Gonçalves
© 2016 Todos os direitos reservados