Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Chove em Natal


Escreverei sobre a chuva
E outros contratempos

E lembrarei que é bom chorar em meio às comédias

Uma vida e uma cadeira de balanço
É o suficiente para o homem ponderar

Sobre o aumento da carne e do frango
E a palidez dos tomates
E o uso indevido dos agrotóxicos
E repensar sobre a falta de sabor dos chuchus
E nas coisas da alma

Na essência moral
Nos pilares de nossa fé
Nos alicerces de nossas descrenças
Na nossa falta de paciência
Nos signos do zodíaco
Na ciência
Naquilo que é mais elementar

Uma vida e um cacho de pitombas
É o suficiente para chegarmos a certas conclusões

E entender melhor as tempestades
E compreender melhor as vozes vespertinas
E ouvir melhor as queixas de setembro
E saborear o resultado daquela equação

Chove em Natal, e chover em Natal e um desastroso milagre
Falta saneamento
É um tormento

Mas parte da nossa vida é feita de pequenos tormentos...

Uma vida, doce de goiaba e queijo
É tudo que um homem precisa para saborear o momento
E esquecer o tormento
E tornar a si...

Escrevi tão pouco sobre a chuva...
Mas chove agora em Natal.

 -
Radyr Gonçalves de Araújo