Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Outro poema inédito


O ineditismo daquele poema
Era o meu teorema

Aquela coisa complicada
Aplicada na veia

Anuviando o céu dos meus olhos...

Era inédito e nu diante do espelho
Era nu, ígneo, assaz vermelho

Inédito – tinha crédito de poesia
E era
Tinha uma manivela que quando a gente girava
Fluíam samambaias, ninfetas aladas
E um mar verde/único com sereias cantantes

Inédito e cósmico
Concreto e químico
Livre entre cadeados
Presa entre fios líricos

Era inédito e avassalador
Redemoinho na xícara de café
Chá de torvelinho verde
Levado por ventos mais fortes

Para além da barreira da inspiração...
Perdi o poema, fiquei sem chão.

-
Radyr Gonçalves de Araújo
© 2016 -Todos os direitos reservados