Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Fevereiro Colorido


Fevereiro é um mês estridente
Tem um pé no carnaval e outro na cova
A minha angústia vence o sol de fevereiro
O perfume da minha dor soa mais alto que as baterias na avenida

Fevereiro é um mês inquieto
Velejadores e sonhadores saem para pescar
Papéis verdes, coisas de barro, pó, lances de suor

A minha tristeza cintila com tanto brilho
Minhas neuroses equilibram-se nos velhos trilhos
Vou ouvindo Schumann ensaiando Chiarina
Burlando trevas acendendo lamparinas
Procurando a corda de suicidar versos lentos

Fevereiro é um mês festivo, de pedrarias e corpos
De nudez nos céus dos portos
De samba surrando o chão

A minha verve imatura é cheia de contemplações infantes
Para minorar a estreiteza da minha alma
Pinta carnavais silenciosos
E borboletas mágicas desfilando nos galpões dos meus olhos

Fevereiro é um mês que não poupa nem a tristeza
Do seu colorido de incertezas.

-
Radyr e a Caneta Mágica
Natal, 07 de fevereiro de 2016