Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Ensaios sobre teu corpo


Habito teus mundos
Tenho o hábito de plainar na tua via principal
Ensaio beijos
Revejo as portas
Cavalgo morrendo de sede nas costas das tuas coxas...

Teu olhar é o gatilho para armar minha armadilha
Sou o teu lobo desgarrado da matilha

Sobrevoo com a palma da mão
Nos salões macios dos teus seios no cio

Teu corpo é o coliseu restaurado
Uma floresta divina de pecado
A poesia entorpecente
A verve mais indecente
O verso áureo dourado

Pudesse eu – quebraria as vidraças do céu
E te exibiria aos anjos

Mas não posso – então me conformo
Em domar teu corpo
E te dizer ao pé do ouvido
Frases impublicáveis
Que não caberiam bem num poema...

-
Radyr Gonçalves de Araújo

Libido Vermelho