Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Curiosidade



A alma do homem tem uma sede estranha por aventura,
Pela quentura dos riscos,
Pelos enigmas nos rabiscos,
Pelo desconhecido guardado nos vestidos da dama desconhecida...

A alma do homem tem uma curiosidade medonha,
Escala, salta, pula, perde a vergonha,
Pois quer saber o que tem lá do outro lado do muro,
Quer saber o que tem no escuro,
Não quer saber nem se a cama é macia...

Não quer saber se a outra alma é vazia,
Se é perigoso o lugar,
Se é no sul do Pará,
Se é no norte dos Pampas...

A curiosidade levanta a tampa...

A alma do homem tem uma fome danada de ter coragem,
De podar a mente, fazer lavagem,
E inaugurar em si um momento novo,
Ganhar a guerra e levar o despojo,
Bater nos peitos e ser herói de si...

A alma do homem é mesmo assim.

-

Radyr Gonçalves