Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O fazedor de Destinos



Surrupiei alguns sonhos de carochinha
Algumas histórias
Porções de ilusões postas em xícaras
E sorri...

Acalantei alguns versos em rede de dormir
Colori com uma jandaia alguns quadros que eu tinha inacabado
Montei meu tablado
E chorei...

Pensei nas lutas abruptas
Na guerra da língua
Na solidão
Na precisão da cajuína
Na praia
Na laia inimiga

Na flor
Na urtiga
No velho cantar

Balancei quimeras em balanços feitos de pneu
E vi meu cabelo abalaiado quando como criança
Pesei na balança o tempo
E notei

Que toda luta que passo
Que toda régua e compasso

É tão somente coisa do destino
Menino
Que traço com a força ou fraqueza das minhas mãos...

Ou não?

-

Radyr Gonçalves
A Poesia Radyrniana