Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Vulcânico


... Uma esfera de sensibilidades quase inatingível
Não há vulgaridade nessas chamas,
Acenda a pira, alce os seios, voaremos no balão –...
Na ilusão da Capadócia...

Tenho comigo ilhas de águas mornas e cestos de framboesas.
O barquinho ancorado nas coxas do riacho é meu.
Vamos, aproveitemos a maré mansa.

Sou fascinado por uma árvore sonsa que mora sozinha na ilha...

Plantarei meus lábios nos vãos do teu cio – e a árvore será testemunha –
Olhará com seus olhos de galhos – e queimará como de prazer...

Fará frio – te serei por fogo – e nos aqueceremos...

Ao longe os navios verão nosso gozo em combustão

como lavas de vulcão.

-
Radyr Gonçalves