Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Sensibilidades



Sentir as paredes frias do calabouço
E ainda sentir o calor da paciência

Sensibilidade é ter ciência da rosa
E ciciar no ouvido das flores
E contar-lhes segredos de outono

E ouvir a voz de barítono do trovão que reclama
Com a ternura de uma mãe que ama

Recitar poesia noturna
Quando a vida ferida e turva
Se curva diante da tempestade

Sensibilidade
É tratar com suavidade o estupido clamor de guerra
E descer a ladeira
Subir a serra
Espalhando a doçura, a paz

É fazer do silêncio uma arma capaz
De fazer levitar o mais sórdido incrédulo

É bater tão suave o tom do martelo
Que a justiça feita
Reflita receita
De como se amar.

-
Radyr Gonçalves