Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O Credo das Pedras



O credo das pedras parideiras
O rito das velhas rezadeiras
O mito das falsas carpideiras
Enchem o mundo imundo
De jardins insensatos

Não creio no grito das montanhas
Nem nas línguas dos galhos do ipê

Não creio na falácia dos carvalhos
Nem nas ordenanças do mar

A religião do pilar concretado
A certeza do aço galvanizado
O teto que mente
O altar
A semente
A dança das tranças das crenças
A morte
A fome
As doenças

Não creio na farda escura da sentinela vermelho
Nem da glossolalia dos pombos pedreses

Há muito de neuroliguísmo no imã dos púlpitos
E pouca água e sabão
Para se limpar o chão

Há muitas tesouras cegas
Há muitas vassouras lesas

A loucura do vitral embaçado
O lilás desbotado no fogo da pira
A mitra morta
A ovelha torta

O feno na porta
E o rebanho morrendo de fome


Que estranho!

-
Radyr Gonçalves