Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Matei um homem

-


Matei com um tiro um homem que feriu um cachorro
Matei minha fome de livros e li todos os contos de Stephen King
Matei alguns versos
Sangrei alguns traumas
E fiquei vendo a lua curtindo com a cara de uns astronautas

Estava aqui
Armado
Com dois livros e um cravinote artesanal

- Eu causaria a terceira guerra mundial para defender um cachorro

Matei com um arco alguns traumas
Abandonei bulas
Escrevi e reescrevi laudas e mais laudas de poemas desconexos

Rasguei minha coleção de mapas
Remendei velhas revistas em quadrinho do Tio Patinhas
Fiquei lembrando de quando eu era rico de alegrias tolas

Das minhas guerras com sementes de mamona
Das minhas bombas de balão de gás e água
Dos meus planos estratégicos para desvendar mistérios elásticos

Matei muitos sonhos
Matei pesadelos
Matei rimas

Salvei alguns pardais
Algumas formigas
E outros tantos insetos

Matei meu tempo
E o tempo passou

E eu fiquei aqui... Velando sepultamentos semeados
Enquanto apago verbos
Atravessados nos versos
Dos quadros do meu passado...


- Eu matei um homem que matou um cachorro... Foi um tiro certeiro...
Não me arrependo.

-
Radyr Gonçalves
In A Poesia Radyrniana
Natal, 29 de setembro de 2015