Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O CAÇADOR DE OUTUBRO



Estranhamente, cativa pantomimas,
Faz bicos no espelho,
Gesticula bailante com as mãos,

Desenterra velhos sonhos,
Vasculhas antigos baús,
Rever poemas de gavetas,
E tenta erguer-se...

Exageradamente, lê e reler contos medíocres,
Que falam de mulheres de praça,
De desgraças cotidianas,
De fatos comuns,

Semeia ideias de primavera, pensando no verão que rebenta...
Destrona certos medos, abafa certas tormentas,

Há um veleiro velho no caís da imaginação,
Se consertado, ainda está em bom estado,
Pode seguir navegando...

Provavelmente navegará quando outubro chegar,

O mar estará inofensivo, o sol boiará tranquilo naquelas manhãs,
Gaivotas encenaram uma dança,

E o céu gentil se abrirá...

E todos os gestos serão de alegria,
A vida tomará rumos,
Haverá novos ritos,
E um sorriso primaveril dará lugar as pantomimas.


 -

Copyright 2013
Todos os direitos reservados