Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

DAS MINHAS CRENÇAS PUERIS


- Radyr Gonçalves -

Creio que sou louco,
Pouco a pouco me convenço,
Eu brigo com o vento vespertino,
E busco birras com a brisa matutina,

Fico batucando com os pés esperando que os anjos façam coro,
Fico ciciando pra lua esperando um insano marciano acenar,

Creio nas loucuras do mar,
Sereias, fadas marítimas, golfinhos encantados,
Príncipes alados, reinos de Hallendomar

Creio que sou louco,
E sei que nos meus rebocos,
Tenho ainda muito pra rebocar,

Não caiei minha alma por completo,
Com cismas de alvejar todo meu templo,

Vai que me confundam com um fantasma,
Vai que me assustem da escada,
Vai que me joguem da janela,

Creio que na lua não exista um dragão,
No entanto,
Creio que os tais dinossauros vivam por lá,
Sabe aquelas crateras, reparem bem as crateras,
Tão moldadas, tão fundas, tão belas (eu acho)...
São pegadas de dinossauro...

Ah, creio no Minotauro,
Nos Elfos só um pouquinho, talvez existam, talvez não...
Fico na dúvida...

Mas acredito piamente no boneco de biscoito,
Coitado, perdeu uma perna, foi acidentado,
Estava com fome e não vi...

Ia esquecendo esse detalhe, sabe as bonecas de retalhos,
Os bichos falantes, como burros, cavalos e elefantes,
Preste atenção, dobre o ouvido na mão e ouça...
Eles falam moço,
Eles falam moça.

 -
Copyright 2013
Todos os direitos reservados