Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Sobre o último pôr do sol






Foge todo pensamento divino
Vai indo, indo
Sem rumo, destino

Sente a pimenta nos olhos
A vodka se perde nas veias
Os entulhos de ideias
A pressão dos anos
O riso escravo
O choro idem

Foge toda a lógica do papel
Todo requinte da mente
A verdade sóbria, carente
Se mostra no espelho
Frente a frente

Já há rugas no templo
E dores nos ossos
O caminho é enfadonho
E a vida beija a morte
Num cinismo medonho

Então se assiste o fim
Lá do alto da ponte
E fica-se a esperar
O último pôr do sol
Sem a mínima pressa
Pois a pressa vem a cavalo
E nos rouba o halo
Nos rouba a vida

E a foice faz o corte
A vida se entrega a morte
A mais atroz das
feridas.

-



Radyr Gonçalves
Copyright 2013
Todos os direitos reservados