Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O menino pensador e o frio da filosofia


A vida não me deu um tempo
Datas, horários, calendários
A vida me tem por otário

Eu não entendo este lance de destino
Teogonias, antropologias, psicologias
Dizem que alguém explica minha falta de pão
De teto, de toque, de água, de chão

Eu não entendo estas lágrimas teimosas
Nem estes estigmas tatuados na minha alma

O sol nunca me acordou sorrindo
E a lua nunca me ninou a noite

Tenho por mãe o relento
E por pai um cobertor de jornal

Eu nunca me vi num espelho
Mas eu sei que o fantasma de mim
É ignorado por tuas retinas

Quando o céu cinza-pérola anuncia a noite
Eu me guardo no vazio 
Tomo o frio por companheiro
E medito no silêncio
Naquilo que não encontro explicação.


-
Radyr Gonçalves
Copyright 2012
Todos os direitos reservados

Comentários