Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Sobre saudades e cerejas

Sinto saudade
Este é o meu mal
Deixei minhas redes de lembranças
Estendidas no varal
Passou Maria e comentou
Passou Joana e fuxicou
Passou Donana e ventilou

Todos sabem dos meus quadros
Dos caminhos dos meus versos
Do meu mar, do meu mundo
Do meu cais, do meu farol apagado
da minha lua de papel crepom

Minha saudade é uma espécie de sina
Que do cimo da minha loucura
Anuncio

Os sinos tocam
Eu lembro dela
O galo canta
Eu penso nela

Sinto saudade é este é o meu destino
Já morri, renasci
Dormi, despertei
Corri, cansei
Cai, levantei
E a saudade me fazendo sombra
Me deixando as sobras
De lembranças
Como esta imagem que tenho aqui:
Ela correndo em meio às cerejeiras
Aparando a chuva entre os dedos
Como se o mar coubesse
Nas suas mãos pequeninas.

-
Radyr Gonçalves
Copyright 2011
Todos os direitos reservados

Comentários