Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Quando novembro chegou





Acordei cedo pra abraçar novembro
Beijei suavemente o ar como se pudesse apalpá-lo
Deixei o sol me tocar na sombra do jequitibá

Contemplativo, chorei
Ergui a cabeça e engoli seco meus arrependimentos

Esqueci de dizer tanta coisa pra ela
A vida é estreita, apertada, é uma estrada sem volta

Eu poderia ter me declarado com mais estardalhaços
Distribuído flores, tecido poesias, cantado mais forte

Quando novembro nasceu me encontrei menino
Sem a saliva dela no hálito
Sem as linhas pontilhadas do destino
Sem a tempestade das histerias que me faziam rir

Quando novembro chegou
Eu estava calado
Ouvindo o canto dos grilos
E o crepitar das folhas secas explodindo no chão

Meditei em meio às flores
Esta manhã estava cinematograficamente bela
As mangas coloriam o quintal
E os maturis apontavam os cajus

Era lindo o cenário aqui fora
Era triste a cena aqui dentro.

-
Radyr Gonçalves
Copyright 2011
Todos os direitos reservados

Comentários