Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Victória - Quando o amor se cala





Ela falava sobre tudo: Economia, gourmet, literatura, cinema, religião. Extremamente carinhosa. Doce. Delicada. Me ensinou tanto. Dela, recebi os maiores ensinamentos que um homem em busca da espiritualidade deve receber. Victória era iluminada. Seus olhos pareciam fazer um raio-X dos meus sentimentos. Apaixonei-me. Ela trouxe para a minha vida um jardim. Um paraíso. Depois dela, o sol da minha existência se tornou divino. Comecei a entender melhor Deus. Amadureci uns dez séculos em pouco tempo. Ela gesticulava abrindo e fechando os dedinhos me mostrando quão belo era o brilho das estrelas. Enchia as bochechas de ar e ria para a lua cheia. Um dia eu fui rico, meu Deus! E nem me dei conta disso. Apesar da limitação vocal, Victória foi quem mais me falou na vida. Muda e surda, ela tinha um modo particular de gesticular. Uma espécie de LIBRAS própria. Eu entendia cada gesto. Para mim ela falava. Eloquentemente se expressava. Namorei-a. Tive em meus braços o mais lindo dos anjos. Mas minha fraqueza, a minha pequenez destruiu tudo. Trai Victória. Covardemente. De forma imperdoável e vil. Joguei fora a felicidade. E sei que desde então, fiz calar a voz que falava na alma daquela fada. Mutilei a língua do amor. Victória calou-se pra sempre. E eu também.
-

Radyr Gonçalves
Copyright 2006
Todos os direitos reservados

Comentários