Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Avon - Radyr Gonçalves




A idéia fervilhou na cabeça quando  leu nos classificados de um jornal: "Acompanhante. 20 anos. Loira. Um metro e setenta. Bumbum e seios durinhos. Apenas cento e cinqüenta paus a hora. "
 Dárcia tinha que vender uma dúzia de Fair Away ou uns 20,  trinta batons, no mínimo. Encarou o espelho, exibiu um seio, exibiu o outro. Empinou o bumbum, modelou as coxas com um aperto massageador e decidiu: - Vou nessa!
Criou uma conta de email bem adocicada: decididaadapordinheiro@yahoo.com. Fez um blog com algumas fotos picantes.  Anunciou no jornal. E já se sentiu profissional. 
-
O primeiro contato pelo telefone:
- Faz tudo? (Voz engasgada)
- E mais um pouco, meu bem - Parecia a Rita Cadillac falando.
Dárcia só tinha transado com um único homem na vida. 
-
O encontro:
Jonas era o nome do cliente. Um homem grande. De aparência bizarra. Caucasiano. Caucasianissímo. Parecia um fantasma. Não muito desodorizado. Fanho e gago. Manco. Um ninho de urubu tinha cheiro menos agressivo que o seu hálito. Lacrou a porta do carro e deu a sentença: 
- Vai ser aqui mesmo.  
Cravou a mão violenta no meio das pernas de Dárcia que estava muda de medo. Apertou os seios com tanta força que parecia espremer uma laranja. 

A fuga:
- Tá vendo aquela farmácia ali? Vai lá e compra camisinha de chocolate. Sou chocólatro, gatinha. E não invente de fugir.
 Foi o que ela fez. Chegou em casa, deletou o e-mail e o blog. Ligou pro jornal,  pediu que retirassem o anúncio. 
Olhava agora as garotas de programas como verdadeiras heroínas. Era mais fácil vender Avon.

A rotina:
Depois do susto,  voltou à velha rotina. Lá estava ela mostrando as novidades da revistinha. Convencendo as mulheres que Renew é o melhor antirrugas do mundo.

Comentários