Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

Cacos de poesia





Restos de poesia num guardanapo
Sobras de samba em notas mortas
Deusas pedindo reza
Anjos em aflição
Sombras de prontidão
E eu na mesma ladainha

Preciso adiantar os passos
Domar meus leões
Podar as arestas
Plantar minha vinha
Tomar chá de poesia
E acalmar meus fantasmas

Careço de um seio no cio
Para abrasar-me nesta noite
Preciso colher luas
Careço de uma camponesa
Cheia de sol nos olhos
Para que quando amanheça
Eu pegue esses cacos de poesia
E transforme numa canção.


-
Radyr Gonçalves
Copyright 2010
Todos os direitos reservados

Comentários