Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

POESIA PARA O FILHO QUE NÃO TIVE




O filho que não tive
Não ia gostar de poesia
Pobrezinho
Não saberia o gosto que se tem
Escrever sob o olhar atento dos astros

Não saberia o sabor do beijo de um verso cru
Não saberia o arrepio que dá quando a inspiração
Sopra doce ao ouvido

O filho que não tive
Seria muito sério
Não iria aos cabarés, não gemeria nas alcovas
Não ia gostar de rock, cerveja, carnaval

O filho que não tive seria ateu
Não leria gibis, nem acreditaria nas lendas da velha infância
O filho que não tive iria gostar de western, de meninas brejeiras, de seios fartos

Seria calmo, ponderado, teria profissão definida, escreveria o básico
Mas tadinho, não leria Drummond, Neruda, Vinicius, não ouviria Tom

Passaria pela vida, meu Deus, sem saber o que é um verso...
É isso seria triste demais
É muito triste, meu Deus
Passar por esta vida
Sem ser poeta
Sem notar que as flores
São muito mais que beleza
As flores
São versos de Deus
Com elas, meu filho
Deus escreve este poema
Que chamamos primavera.


-

Radyr Gonçalves

Comentários

polly disse…
LINDO PORÉM TRISTE...COMO ESTOU AGORA :(