Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

EGOÍSMO - 1º LUGAR NO CONCURSO PROSA E VERSOS DE PRIMAVERA




´´De nada serve meu amor nestas tardes de primavera cinza´´

Esta chuva seca que agora banha meus olhos são lágrimas virgens de novembro. Eu choro de solidão nesta noite e a noite chora pela falta da lua. Nada me remete saudade. Não me redimo de nada, não me lembro especialmente de ninguém. Meus almanaques estão vazios, assim como meus álbuns de fotografias. O vinho, quieto, descansa na taça solitária. Eu sinto solidão, mas nenhuma solidão especial. Ando tão egoísta que acho que chorar de solidão me serve como status. Não tenho me apaixonado. Não tenho cativado flores. Não tenho inovado em simplesmente nada. Minhas poesias estão tão antiquadas, meus escritos tão cansativos. Eu choro para chamar atenção de mim mesmo. Não tenho me decepcionado com nada. Não tenho visto o vôo das arribaçãs lá do alto da torre de Santa Rita. Não tenho admirado o pôr do sol do Potengi. Faz tempo que não amo um amor desses de uma noite. Esta chuva seca que nubla minhas vistas, estas nuanças de tristeza inventada é tudo forçado... Eu não tenho nada. É puro egoísmo.


Radyr Gonçalves

Comentários