Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O DIVÃ


Tenho derretido minhas estátuas de cera
E apagado certos vícios de biscuit

Noutros tempo eu varava a noite com os morcegos e os mochos

Tinha pesadelos com leviatãs e outros monstros marinhos
Sarças e espinheiros moldavam meus caminhos
Pragas do Egito destruíram minha vinha

A boca da masmorra assobiava meu nome
Do meu cárcere não dava pra ver a lua
Eu andava ébrio de nada beber

Hoje quando vejo o sol eu me ajoelho e rezo
Derrubei muros e ante-muros
Aniquilei meus inimigos com um único golpe de espada
E vejo daqui da minha câmara
Os cadáveres como palha no monturo
Daqueles que outrora me oprimia.

Hoje, vejo estátuas consumidas
E uma coleção de medos sendo empalhados.


-

Radyr Gonçalves

Comentários