Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

REVOLTA DE UMA TARDE DE AGOSTO




Revoltado
Lavei minhas mágoas
E fique a quarar sob o irônico sorriso solar

Eu não tenho culpa das fagulhas que irritam
Nem tampouco sou culpado pela poeira das estrelas

Eu também erro, meu bem!
Não sou juiz, santo ou Deus

Irritado
Levei o meu ódio pra ver televisão
Nada passa de fantástico nesses canais baratos
Nada novo no universo internético
Nenhuma voz nova no rádio

Chutei a bandeira fincada na lua
E fui lavar os pratos

Eu sou de lua, de magnésio, enxofre e cloro
Eu sou de ferro, de paixão, amor e ódio

Mais relaxado
Acendi o fogo, deixei ferver a água e fui preparar minha especialidade:
Nissim Miojo.



Radyr Gonçalves


Copyright 2009


Todos os direitos reservados



Comentários