Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O OBSERVADOR





Eu olho o mundo com olhos de sono
Bocejo entre um olhar e outro
Essa garoa, esse frio, esse éter
Me dá uma indisposição desgramada

Mas vejo os urubus a vigiar de longe
E os escorpiões a planejar o golpe
Eu vejo a raposa tramando rinhas no covil
Eu vejo o gavião tirando a paz dos pombos

Entre um cochilo e outro
Eu vejo tuas bocas
A reclamar do café que derramou na blusa
Ou do barulho das crianças do vizinho...

Eu olho o mundo com olhos famintos
Me alimento entre um olhar e outro
Essas cores, esse teu cheiro, esses teus toques
Dá uma fome desgraçada...



Radyr Gonçalves

Copyright 2009

Comentários