Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

O CASEBRE NA BEIRA DO LAGO


A tristeza me fareja
Eu despisto as lágrimas olhando a revoada das andorinhas

Tem um casebre na beira do lago
Onde fico lendo as mentes das estrelas

Não dizem nada nas noites de lua cheia
Ficam lá
Olhando o sol banhando-se na imensidão do além das minhas vistas

Tem um menino aqui dentro
Que procura pipas no horizonte rasgado

Tenho uma nostalgia estranha coalhada aqui no meu peito
Não lembro dos retratos desse passado
Que teima em agonizar quando estou na beira do lago

A tristeza me fareja...
Eu despisto a dor contando resíduos de lua que caem no lago.

-

Radyr Gonçalves


Comentários

eliane disse…
Estilo Radyr de escrever ! Incomparável !