Ainda sobre o amor ♦ Radyr Gonçalves

A LIBÉLULA E O MEU CONTO NOTURNO







Uma libélula
Pousou preguiçosamente
Na aba da minha janela
E ficou a meditar

Eu dimensionei cada pensamento dela
Trocamos frêpas
Ela entendeu minha falta de sono
Meu pseudo-abandono
Meus sonhos mofados

A libélula solitária
Repaginou meu passado
E vagarosamente abriu
As cortinas do meu teatro íntimo

Entendeu-me por completo
Debulhou meus segredos
Dedilhou meu rosário de erros

Mostrou minhas fomes
Minhas sedes
Meus poemas de seda
Meus contos noturnos

A libélula preguiçosa
Alçou um voo manhoso
E seguiu
Deixando-me com minhas redes de versos
Insônia e contemplação

Ela só queria voar
Eu só queria dormir.



Radyr Gonçalves
Copyright 2008
Todos os direitos reservados


Comentários